Entre barcos, trilhas e estradas de terra, um passeio pela impressionante natureza desse bioma brasileiro.

Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos

O Pantanal é a maior planície inundável do planeta. Com cerca de 250 mil km², engloba principalmente o Brasil, mas também a Bolívia e o Paraguai. Nesse paraíso praticamente selvagem, foram catalogadas milhares de espécies de animais e de plantas, algumas delas encontradas apenas nesse bioma.

A melhor época para visitar é no período da seca, entre maio e setembro, quando as águas baixam. Nesses meses, é possível circular por áreas que ficam totalmente alagadas quando chegam as chuvas. E, como consequência, pode-se melhor observar sua fauna e flora.

O roteiro aqui proposto pode ser feito em 4 dias, mas o ideal é aumentá-lo em dois, pois há duas longas viagens de barco a fazer: uma de Cáceres até o Parque Nacional do Pantanal Matogrossense; outra do Parque Nacional a Corumbá. Dessa forma, você pode aproveitar ainda mais essa viagem inesquecível.

Destinos de
desta experiência
Cáceres
Corumbá
Cuiabá
Dia
Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos
Dia 1
Avistando o Pantanal

Cuiabá, a capital do Estado do Mato Grosso, está localizada no ponto mais central da América do Sul. Longe de outros grandes centros urbanos, é mais facilmente acessível de avião.

A cidade é o ponto de partida dessa aventura, que se inicia pelo Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, a 50 km de lá. Apesar de o Parque não fazer parte do Pantanal, de lá se avista uma parte da planície pantaneira.

E já que você vai estar por lá, pode aproveitar para conhecer algumas das atrações do local, como a famosa cachoeira Véu de Noiva e seus 86 metros de queda d’água. Ou a Cidade de Pedra, cânion com formações pontiagudas que lembram castelos medievais.

A ida à Chapada dos Guimarães vale a pena, porque dá a oportunidade de experimentar, em uma mesma viagem, dois ecossistemas diferentes, ambos deslumbrantes.

Em Cuiabá, aproveite para visitar a Casa do Artesão. No espaço, rico em arte e cultura, você pode conhecer um pouco da história da região e aproveitar para comprar belas peças de artesanato.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Ótimo para

Walking, Comfort Inn

Dia 2
A porta de entrada para o Pantanal

Cáceres está a pouco mais de 200 km de Cuiabá. O trecho pode ser feito por via rodoviária, em uma viagem de cerca de 3 horas. A cidade é a porta de entrada para o Pantanal.

Um passeio pelo rio Paraguai é uma boa maneira de ser introduzido à natureza local. Do porto fluvial saem inúmeras embarcações, de todos os tipos e tamanhos, que fazem diferentes roteiros de variadas durações, como o safári fotográfico e o passeio noturno. No entanto, o objetivos de todos os turistas que ali vão é o mesmo: observar as plantas, os peixes, as aves e os tantos outros animais da região, como o jacaré e a onça-pintada.

Se não retornar muito tarde da exploração, visite o Museu Histórico da cidade. O prédio neoclássico foi construído em 1922, com o objetivo de abrigar o Mercado Municipal. Em 1978, passou a desempenhar sua nova função. No acervo, destaca-se a sessão de arqueologia, com mais de 10 mil peças que revelam o cotidiano das tribos indígenas que ocupam aquelas terras desde muito antes da chegada do homem branco.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Ótimo para

Comfort Inn

Dia 3
Proteção do ecossistema

Chegar ao Parque Nacional do Pantanal Matogrossense exige esforço e leva tempo. Mas vale a pena. A melhor maneira é misturar os meios de transporte. De carro, faz-se o primeiro trecho, a partir de Cáceres. A rota inclui a Rodovia Transpantaneira, de Poconé até Porto Jofre. Na estrada de terra, você pode parar o veículo e observar os muitos animais ali presentes. Em Porto Jofre, troca-se o carro por barco e a viagem segue por mais 150 km pelo rio.

Todo o trajeto, incluindo o rodoviário de Cáceres a Porto Jofre, irá tomar praticamente um dia inteiro. Então o melhor é deixar a visita ao Parque para o dia seguinte.

Com 135 mil hectares, o Parque Nacional do Pantanal Matogrossense foi declarado Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera Mundial, pela Unesco. Sua criação veio atender às reivindicações da comunidade científica e da sociedade, que exigiam um parque para proteger o ecossistema.

Quando estiver lá, você entrará em contato com a natureza em estado selvagem. E poderá visualizar dezenas de animais diferentes, soltos em seu habitat natural, em uma vegetação impressionante.

Porém, lembre-se: para visitar o Parque, é necessária uma autorização prévia, emitida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Para mais informações, entre em contato diretamente com o Instituto.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Ótimo para

Comfort Inn

Dia 4
História

Para ir a Corumbá, no Mato Grosso do Sul, voltamos à água e tomamos um barco que vai descer o Rio Paraguai. A viagem de 250 km leva cerca de 7 horas para ser cumprida. Você deve chegar ao destino do meio da tarde, e pode aproveitar para passear pelo Casario do Porto Geral da cidade e visitar o Museu de História do Pantanal, que retrata a colonização e a ocupação desse bioma.

Se preferir, faça um passeio pela Estrada Parque do Pantanal. Na época das chuvas, apenas veículos 4x4 circulam por ali. Porém, nos meses de seca, qualquer veículo consegue trafegar. Ao longo da rota, é possível ver animais mesmo sem sair do carro, incluindo jacarés, tamanduás, macacos e onças-pintadas.

No fim do roteiro, se quiser levar uma lembrança, o lugar a ir é a Casa do Artesão. As oficinas e estandes vendem produtos locais feitos com madeira, sementes, couro de peixe e outros materiais.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Ótimo para

Comfort Inn

Aproveite!