Os montes e picos da Serra da Canastra são um convite para você desbravar as matas, tomar banho nas cachoeiras e observar animais selvagens e raros.

Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos

São Roque de Minas é uma pequena cidade de Minas Gerais que se destaca por abrigar a maior parte do Parque da Serra da Canastra e suas principais atrações. São várias opções de trilhas, cachoeiras, mirantes, nascentes e uma gruta, além de uma boa estrutura para atender aos turistas, com opções de hospedagem e restaurantes com a culinária local. A receptividade do povo mineiro é uma atração à parte, fazendo você vivenciar os costumes e a tranquilidade de uma típica e pacata cidade do interior do Brasil.

Depois de chegar a São Roque, o Parque da Serra da Canastra será o seu destino. De longe, você verá os montes e os picos que parecem formar um grande baú (ou canastra, uma espécie de cesta), origem do nome da Serra. Na verdade, a área reúne duas serras principais: a da Canastra e a das Setes Voltas, com o Vale dos Cândidos no meio. Por ser uma espécie de berço de rios de duas bacias hidrográficas brasileiras (a do rio Paraná e a do rio São Francisco), o Parque nasceu para ser local de preservação ambiental. Um paraíso de vegetação nativa, animais silvestres e águas límpidas em Minas Gerais.

Se você não conhece o Cerrado (vegetação predominante), vai ficar impressionado com as árvores de caules retorcidos e de casca grossa e outras formas peculiares da vegetação nativa, características que a fazem sobreviver ao calor de determinadas épocas do ano. Há quem diga que o Cerrado é a savana brasileira. As serras também guardam resquícios de uma vegetação da Mata Atlântica, conferindo visual único ao local. Aqui surgem animais como tamanduá-bandeira, o lobo-guará e o veado-campeiro. Com sorte (e auxiliado pela característica da mata rala e do relevo) você verá alguns desses animais durante sua visita ao Parque.

Você pode passar uma semana na Serra e provavelmente vai ter o que fazer. Trilhas, caminhadas, rios, lagoas, cachoeiras, passeios de jipe, esportes como motocross, canoagem, boia-cross e rapel, experimentação de queijos, enfim, uma infinidade de atividades em meio à natureza. São várias opções de passeio. Mas, basicamente, você pode fazer dois tipos de programas: o turismo de aventura ou o turismo queijeiro (produto gastronômico mais típico e mais famoso da Canastra). O queijo canastra é patrimônio cultural imaterial brasileiro desde 2008.

Como todos os percursos dentro do Parque são feitos por estrada de terra, de novembro a março (período chuvoso) é melhor entrar somente com um veículo 4x4. Se você não tiver um, pergunte na pousada onde você estiver hospedado como contratar um tour nesse veículo. A viagem não vai ser apenas mais fácil e segura, mas também com um outro ar de aventura. Dentro do Parque, a melhor forma de conhecer é caminhando. Então vamos lá?

Destinos de
desta experiência
São Roque de Minas
Dia
Adicionar aos favoritos Remover dos favoritos
Dia 1
Subindo a serra em busca de aventura

Provavelmente, um dos primeiros locais da sua visita dentro do Parque da Serra da Canastra será a Cachoeira Casca d'Anta. A visão é impactante. Os 186 m de queda livre têm uma força incrível, como se, a cada segundo, um prédio de 60 andares feito de água caísse do paredão. Primeira e mais alta cachoeira do rio São Francisco, é uma das mais belas do país. A grande atração é subir até as piscinas do alto, antes da queda. Para chegar à cachoeira, você vai caminhar cerca de 4 km de subida durante 2 horas, aproximadamente. Aproveite a vista da Serra da Canastra e da Babilônia, na parte mais alta. Lindíssima!

Outra cachoeira bastante visitada é a de Rolinhos. O acesso se dá por uma trilha curta, de 15 minutos, a partir da estrada principal. A cachoeira pode ser observada do alto de um mirante. Suas águas desaguam na Lagoa Azul, de águas transparentes.

Outras atrações que valem a sua visita é a Serra da Babilônia (inúmeras cachoeiras de águas transparentes e trilhas que podem ser percorridas a pé, a cavalo ou em veículos tracionado), os Chapadões da Canastra (campos rupestres que formam a parte alta do Parque, onde podem ser observados vários animais da região) e a Gruta do Tesouro (travessia difícil de 1.500m durante cerca de 2 horas por uma gruta escura, passando por formações rochosas, corredores estreitos, escorregadios e alagados - indispensável o acompanhamento de guia, capacete e lanterna).

No Parque, há pelo menos outras oito cachoeiras que valem a visita, como as Cachoeiras do Vento, do Fundão e da Lavra. Mas se você quiser ir a atrações fora do Parque, vá a Capão Forro, a 5 km de São Roque de Minas. Lá você poderá trilhar dois caminhos: um que leva à Cachoeira do Mato e outra que leva à Trilha do Picareta, onde existe uma área de camping. Se você gosta de acordar em meio a natureza, esse é o lugar.

Próximo ao Parque, você também pode visitar o lago de Furnas, um reservatório imenso de água com ilhas, paredões de rocha, piscinas naturais, cânions e cachoeiras. A água é de cor verde-esmeralda - lembra o litoral do Rio de Janeiro - e é perfeita para nadar, navegar de barco, caiaque e de lancha. É como se o centro do país tivesse um mar: o mar doce de Minas.

  • Destaques da Experiência
  • Atracão
  • Aeroporto
Aproveite!